24.8 C
Ponta Grossa
quarta-feira, maio 22, 2024

GREVE: estudantes de jornalismo da UEPG cobram a contratação de professores

Em nota, a instituição disse que a chefia do departamento desistiu da contratação; departamento rebate acusação

Ponta Grossa
nuvens dispersas
24.6 ° C
24.6 °
24.6 °
52 %
6.4kmh
28 %
qua
25 °
qui
25 °
sex
19 °
sáb
15 °
dom
12 °
Escrito por

Na manhã de ontem (28), durante assembleia realizada no Campus Central da Universidade Estadual de Ponta Grossa, os acadêmicos de jornalismo deflagraram uma greve geral, motivada pela falta de contratação de professores. Segundo a nota enviada a imprensa pelo Centro Acadêmico João do Rio (Cajor), são 13 disciplinas sem professor neste segundo semestre de aulas.

Assembleia foi realizada na manhã de ontem (28) e contou com votação sobre a greve | Imagem: Reprodução / Divulgação do departamento

“Atualmente, o quadro de professores de Jornalismo conta com 11 efetivos, um afastado e três colaboradores. Para que todas as disciplinas sejam aplicadas, precisariam de, no mínimo, mais quatro colaboradores”, informa a nota.

Continue lendo depois da publicidade:
Os acadêmicos deixaram uma mensagem na parede do departamento, informando sobre a situação da greve | Imagem: Maria Helena Denck

Além disso, o Cajor criticou a atual gestão da reitoria da universidade afirmando que “o departamento de Jornalismo sofre devido ao descaso da Reitoria da própria UEPG”. Com a medida, os acadêmicos deixam de frequentar as aulas e realizam diversas manifestações nos campi da instituição. Como primeiro ato, eles organizam uma mobilização em frente a reitoria da UEPG, em Uvaranas, na manhã de hoje (28).

Universidade Estadual de Ponta Grossa

O Jornal Colabore entrou em contato com a assessoria da UEPG, que informou que o departamento recusou um processo seletivo para professores, ainda em fevereiro de 2022, mas que ainda em abril solicitou à Pró-reitora de Recursos Humanos a contratação de um professor colaborador; isso não ocorreu devido a um ataque hacker no sistema do Tribunal de Contas do Estado, fazendo com que o teste fosse realizado apenas em 30 de julho.

A instituição afirmou que está trabalhando para realizar as contratações | Imagem: Reprodução / Divulgação UEPG

A contratação do professor não foi efetivada por conta das restrições na contratação e nomeação de servidores no período eleitoral, válida do dia 3 de julho à janeiro de 2023. A situação ficou ainda pior pois o departamento teve o desligamento de outros três docentes, que saíram em setembro, informou a nota da instituição.

A universidade ainda explicou que a reitoria trabalha para que seja efetivada a contratação excepcional de novos docentes antes de janeiro de 2023.

Departamento rebate a acusação

O JC também entrou em contato com a chefe do departamento de jornalismo da UEPG, Karina Janz Woitowicz, que definiu a nota como “maldosa”. Segundo ela, o departamento só recusou a contratação de servidores em fevereiro pois o quadro de docentes estava completo, não havendo necessidade de novos processos seletivos.

“Em fevereiro tínhamos recém contratado dois professores, e todos os outros contratos estavam em vigência até 2023”, relatou a chefe do departamento. Ela explicou que o teste, que a assessoria da UEPG cita, era apenas para departamentos que estavam com falta de professores, o que não enquadrava o Dejor naquele momento.

Ao todo, o departamento solicitou a contratação de quatro docentes para suprir a necessidade do curso, mas recebeu uma negativa do ProJur, por conta do período eleitoral; agora a chefia do curso aguarda a resposta da universidade para o pedido excepcional de contratação de novos professores, que procura uma ‘brecha’ na lei eleitoral.

Próximas ações e data para fim da greve

A presidente do Centro Acadêmico João do Rio (Cajor), Ana Luiza Bertelli Dimbarre, informou ao Jornal Colabore que a falta de professores é apenas um dos motivos da greve: “também sofremos com uma estrutura debilitada e com equipamentos antigos que não permitem a realização das atividades práticas de forma plena, impedindo um ensino de qualidade”, explicou a acadêmica.

O Centro Acadêmico realiza um ato na reitoria da UEPG | Imagem: Reprodução / Instagram Cajor

O Cajor ainda defende que o reitor da Universidade, - Anúncio -

MAIS LIDAS NO JC

Aproveite para ler!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Direitos Autorais

.