10.1 C
Ponta Grossa
segunda-feira, julho 22, 2024
Vinicius Sampaio / JC

Indústria Mexicana promete maior fábrica de reciclagem do Brasil em PG

A Envases especula investimento de R$ 300 milhões e geração de mais de mil vagas de emprego até 2026

Ponta Grossa
céu pouco nublado
10.1 ° C
10.1 °
10.1 °
67 %
1kmh
12 %
seg
22 °
ter
23 °
qua
24 °
qui
25 °
sex
18 °

Colunas

Escrito por

A empresa mexicana Envase lançou a pedra fundamental da obra de sua sede em Ponta Grossa, em solenidade na manhã da última quinta-feira (20). A obra está situada no KM 508 da BR-376, na região do Cará-Cará, com 17,8 mil m². Mais de R$ 300 milhões serão investidos na construção da fábrica. O início das operações da Envase está previsto para julho de 2025.

A Envase é considerada líder mundial em soluções globais de embalagens. A empresa é especializada na produção de embalagens de polietileno tereftalato (PET), alumínio e industriais/alimentícias. A sede em Ponta Grossa será a terceira da Envase no Paraná e terá capacidade de produção de 43 mil toneladas de resina e 60 mil toneladas de garrafas PET por ano. Será considerada a maior fábrica de resina PET do Brasil.

Continue lendo depois da publicidade:

Álvaro Queijo, diretor regional da Envase no Brasil, alerta para o esforço coletivo da sociedade e explica como será o processo de produção das garrafas PET. “Em nossas casas, é necessário a separação do lixo reciclável. Ao receber esse material, as cooperativas e os catadores fazem o seu trabalho de separação e esse material vem até nós. Lá, transformamos em resina reciclada apta para a produção de embalagens de alimentos”, explica.

Leia também: Agência do Trabalhador realiza “feirão” com vagas de emprego para supermercados

Álvaro aponta que a fábrica será importante para a sustentabilidade e o meio ambiente de Ponta Grossa. “Se o Paraná nos der todas as garrafas PET que utiliza, nós teremos capacidade de processá-las para voltarem a ser garrafas PET. Isso não apenas gera um ciclo limpo, mas também gera circularidade do material, o que evita que as garrafas fiquem jogadas no solo, nos rios”, aponta.

A prefeita Elizabeth Schmidt (União Brasil), presente na solenidade, classifica como “conquista” o acordo com a multinacional e avalia os impactos da Envase para Ponta Grossa. “Isso significa que teremos mais qualidade de vida para as pessoas, pois essas garrafas não vão estar mais nos rios. É um ciclo que beneficia toda a população e o meio ambiente em si”, afirma.

Questionada sobre como se deu a mobilização de Ponta Grossa para receber a indústria, Elizabeth aponta que o município está aberto para novas empresas na região. “Todas as semanas temos empresas interessadas em vir para o município. Acredito que estamos sempre preparados para receber indústrias, pois temos o maior parque industrial do Interior do Paraná. E a Envase é uma indústria muito bem-vinda, a maior do Brasil no quesito sustentabilidade”, conta.

- Anúncio -
Texto revisado porHeryvelton Martins

MAIS LIDAS NO JC

Pode chamar sua atenção! leia:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Direitos Autorais

.